Lucro real e lucro presumido: entenda qual é o melhor!

By in
164
Lucro real e lucro presumido: entenda qual é o melhor!

Empresas que faturam mais de R$ 4,8  milhões por ano não podem se enquadrar no modelo tributário do Simples Nacional. Diante disso, líderes desse tipo de negócio precisam entender muito bem como funcionam os regimes Lucro Real e Lucro Presumido.

Afinal de contas, tais modalidades de pagamentos de impostos estão disponíveis para companhias que têm receita bruta mais alta do que esse valor. Por sua vez, as corporações que ultrapassam rendimentos anuais de R$ 78 milhões são obrigadas a tributar pelo Lucro Real.

Como fazer a escolha certa e obter uma gestão tributária inteligente? É o que vamos te contar neste texto! Confira nosso post e tire suas dúvidas sobre Lucro Real e Lucro Presumido!

O que é o Lucro Real?

O Lucro Real é uma das alternativas que as empresas têm para pagar seus impostos. Nessa categoria de tributação, o acerto de contas com o Fisco é calculado com base nos ganhos do período. Além disso, essa vertente permite que a corporação contribuinte obtenha vantagens como compensações e incentivos fiscais.

O que é o Lucro Presumido?

Por sua vez, o Lucro Presumido é uma espécie de modelo fiscal que toma como referência uma estimativa do faturamento. Assim, a partir de análises do desempenho de anos anteriores, a companhia prevê sua faixa de rendimentos.

Nessa situação, a alíquota tributária oscila conforme o ramo do negócio. Dessa forma, os porcentuais cobrados podem oscilar de 1,6% a 32%, de acordo com o nicho de mercado.

Qual a importância desses regimes tributários?

Contar com modalidades diferentes de pagamento de impostos é uma forma de deixar a cobrança mais justa no Brasil. Desse modo, as companhias que ganham mais recebem a maior incidência de carga tributária.

Por sua vez, as companhias menores ganham alternativas com alíquotas mais brandas e processos mais simplificados. Porém, isso não vale somente para quando falamos de Lucro Real e Lucro Presumido. Afinal, como já dissemos, para empresas com ganhos de até R$ 4,8 milhões por ano, é viável ainda escolher o Simples Nacional.

Tanto o Simples Nacional como o Lucro Presumido ajudam as organizações a conseguir alíquotas mais baixas e um processo simplificado de apuração fiscal.

Na prática essas diferenciações de regimes funcionam como estimulantes do desenvolvimento econômico. Por esse motivo, tais especificidades garantem mais poder competitivo aos pequenos e médios negócios. Assim, fica mais fácil gerar renda e empregos.

Como calcular o imposto no Lucro Real e Lucro Presumido?

Uma gestão tributária de qualidade é indispensável para qualquer planejamento financeiro. Afinal de contas, o volume de impostos influencia em questões sensíveis para qualquer negócio. Isso vale para precificação, competitividade, capacidade de novos investimentos etc. Por isso, nós preparamos um resumo bem simples de como contabilizar suas obrigações fiscais em ambos os modelos. Confira:

Tributação no Lucro Real

No Lucro Real, a apuração do imposto incide sobre os valores que a empresa ganhar no período. Mas você sabe como provar que quantias são essas? Na realidade, a comprovação ocorre por meio de demonstrações financeiras e contábeis, como lucro líquido, balanço patrimonial, relatórios e balancetes.

Nesse modelo, a companhia paga 15% de tributos sobre seus ganhos. Além disso, a cada vez que o faturamento bater R$ 20 mil, paga-se taxa extra de 10% sobre o volume excedente a esse patamar.

Por exemplo: imagine uma empresa com faturamento mensal de R$ 25 mil reais e que esteja tributando pelo Lucro Real. Primeiramente, deve-se calcular quanto é 15% de R$ 25 mil (no caso, estamos falando de R$ 3.750 em tributos devidos).

Contudo, nesse regime cobra-se taxa adicional aos valores acima de R$ 20 mil. Dessa forma, nessa situação hipotética, seria preciso incidir mais 10% de imposto sobre os R$ 5 mil sobressalentes (R$ 500 reais). Portanto, o total de tributos a ser pago no mês pelo Lucro Real seria de R$ 4.025,00 (R$ 3.750,00 + R$ 500,00).

Pagamento de impostos no Lucro Presumido

Por sua vez, no Lucro Presumido, a empresa aplica porcentagens distintas conforme o ramo de atuação. Porém, independentemente do nicho, os impostos incidem sobre valores estimados. Nesse estilo de tributação, a alíquota é de 8% para os estabelecimentos comerciais e de 32% sobre os prestadores de serviço.

Como saber qual dos regimes é melhor para sua empresa?

Ambos os regimes oferecem vantagens e desvantagens. Por isso, é necessário levar em conta dezenas de aspectos. Evidentemente, a resposta para essa pergunta depende de algumas variáveis. Por esse motivo, itens como o setor de atuação, o porte e o faturamento médio anual são elementos decisivos nessa escolha.

Afinal, ambos os modelos apresentam benefícios e obstáculos. Por isso, o melhor mesmo é avaliar com calma como cada um dos sistemas vai impactar seus resultados. Observe:

Lucro Real

Ao escolher o Lucro Real, a companhia terá de remeter à Receita suas informações de controle. Por isso, nessa modalidade, é interessante manter uma gestão tributária profissional.

Assim, caso essa seja a alternativa mais apropriada ao seu negócio, lembre-se de se planejar para gastos que vão envolver o cumprimento de envio de dados ao Fisco. Em outras palavras, provavelmente será necessário investir em equipes de contabilidade, em ferramentas de tecnologia articuladas aos principais órgãos fiscais e em consultorias organizacionais para estruturar todo o processo.

Lucro Presumido

Já o Lucro Presumido apresenta como uma vantagem o fato de contar com alíquotas permanentes. Logo, os processos de contagem e demonstração são mais fáceis de se executar.

Contudo, esse tipo de regime não é adequado para negócios em franco crescimento. Afinal de contas, existe um teto de receita bruta anual para o modelo presumido (R$ 78 milhões).

Portanto, quando falamos de Lucro Real e Lucro Presumido, a melhor escolha vai variar caso a caso. Porém, apesar dessas diferenças entre um negócio e outro, uma coisa é comum a todos os empreendimentos: a necessidade de uma gestão tributária profissionalizada e moderna.

Para isso é fundamental que os líderes se interessem pelas questões fiscais. Nesse contexto, que tal começar a aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto agora mesmo? É bem fácil: leia também nosso post que conta Como calcular o Simples Nacional!

 

 

 

 

54321
(1 vote. Average 5 of 5)
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.