Balanço patrimonial de uma empresa: o que é e como preparar

By in
282
Balanço patrimonial de uma empresa: o que é e como preparar

Além de ser uma exigência da lei, o balanço patrimonial de uma empresa reúne dados minuciosos sobre as condições financeiras do negócio. Dessa forma, a partir desse documento, é possível enxergar fatores de sucesso e vulnerabilidades. Assim, essa peça contábil deve ser vista como um instrumento de gestão, e não apenas como uma obrigação jurídica.

Neste artigo, vamos explicar os conceitos básicos que envolvem o balanço patrimonial de uma empresa. Além disso, mostraremos um resumo com dicas para calcular e estruturar esse importante demonstrativo contábil. Confira!

O que é o balanço patrimonial de uma empresa?

O balanço patrimonial é um parecer técnico e financeiro que exibe a situação financeira e contábil de uma organização em um intervalo de tempo pré-determinado. Ele é uma das várias obrigações que compõem a responsabilidade social e empresarial.

Assim, em palavras mais simples, podemos afirmar que esse relatório é como uma fotografia das movimentações de dinheiro ocorridos em determinado período. Com exceção da figura jurídica MEI (Microempreendedor Individual), todas as companhias devem elaborar tal levantamento.

Outro dado relevante: o balanço patrimonial de uma empresa conta com três componentes: ativos, passivos e patrimônio líquido. Nesse contexto, é preciso admitir que os gestores sabem a importância desse demonstrativo. Contudo, os erros em seu cálculo infelizmente não são raros. Veja a seguir uma rápida explicação sobre cada uma das partes do balanço patrimonial de uma empresa:

Ativos

Chamamos de ativos os bens e os direitos que uma empresa acumula em certo limite de tempo. Esse pecúlio pode ser transformado em dinheiro. Além disso, na hora de elaborar um balancete desses, os ativos devem ficar à esquerda da página.

Outro detalhe crucial: a companhia deve especificar quais ativos são circulantes — referentes ao ano vigente — e quais são não circulantes — que devem entrar para as contas dessa organização depois do ano-calendário do balanço patrimonial.

Passivos

Já os valores passivos representam os débitos e as obrigações de um empreendimento. Assim, são exemplos os pagamentos de fornecedores e insumos. Em termos de regras de elaboração, o passivo fica do lado direito do balanço patrimonial de uma empresa.

Assim como ocorre com os ativos, deve-se diferenciar quais itens são circulantes — serão quitados dentro do período avaliado — e quantos são não circulantes — volumes que a empresa pagará depois do fechamento desse estudo.

Vamos a um exemplo prático? Imagine que uma indústria compre dois equipamentos a prazo em 2021. Porém, um deles para quitar em dezembro deste ano e, o outro, para terminar de pagar em fevereiro de 2022. Dessa forma, os primeiros passivos são circulantes e, os segundos, não circulantes.

Acompanhar esses números é crucial para a saúde financeira. Afinal, em caso de tendência de aumento das dívidas, será possível antecipar o início de uma gestão de crise. Ou seja, a empresa consegue amenizar ou até mesmo eliminar prejuízos.

Patrimônio Líquido

A diferença entre ativos e passivos é o chamado patrimônio líquido. Em outras palavras, ele é o capital social, o resultado do balanço patrimonial de uma empresa. Na hora de fechar as contas, a gestão financeira precisa ter atenção para alguns detalhes.

Afinal, se o relatório for calculado com inconsistências, além de problemas legais, pode haver decisões gerenciais equivocadas. Por exemplo: lembre-se de incluir entre os ativos/passivos a reserva de ganhos, eventuais depósitos feitos por sócios para constituir o negócio, entre outros pertences e/ou dívidas.

Como fazer o balanço patrimonial de uma empresa?

Além de se preocupar em como fazer o cálculo, é fundamental ter uma apuração de dados fidedigna. Do contrário, o balanço pode apresentar desvios. Por isso, tenha muito cuidado na hora de coletar os valores que entram e saem. Observe o resumo:

  • Escolha um intervalo de tempo;
  • Pesquise todos os ativos;
  • Reúna todos os passivos;
  • Obtenha o patrimônio líquido (diferença entre passivos e ativos).

Por que contar com a ajuda de uma consultoria?

Com uma consultoria financeira empresarial, a contratante consegue diminuir drasticamente os erros na contagem do balanço patrimonial. Afinal de contas, a consultoria é feita por especialistas que estão mais acostumados a elaborar essas contas.

Da mesma forma, tudo é feito bem mais rápido, uma vez que os consultores têm anos de experiência na carreira contábil. Além disso, é possível recorrer ao outsourcing contábil, um pacote que pode incluir outros serviços financeiros como soluções em impostos, levantamentos das obrigações trabalhistas e acesso a sistemas de informática desenvolvidos especialmente para a produção de demonstrativos.

Portanto, o balanço patrimonial de uma empresa deve ser levado a sério tanto por questões administrativas como jurídicas. Ou seja, é necessária extrema atenção e eficiência na elaboração desse documento.

Agora, com a ajuda de uma terceirizada, os gestores ficam mais tranquilos com esse compromisso. Nesse contexto, a PGBR soma 60 anos de expertise em consultorias contábeis. Mais um diferencial é o nosso atendimento personalizado por meio de soluções modernas de tecnologia. Quer saber mais? Então entre em contato agora mesmo!

54321
(0 votes. Average 0 of 5)
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *